Social e Comunidade

Quando falamos da parte social também falamos do sentido de colaboração e cooperação entre diversas pessoas, capacidades e necessidades.

A Ecoaldeia de Janas não é uma comunidade intencional. É um colectivo intencional de pessoas unidas com uma visão e missão bem definida de construir um lugar de partilha e aprendizagem prática em diversas temáticas que se materializa numa economia real e local.

Somos um grupo de pessoas (legalmente uma Associação) que se baseia nos princípios colaborativos e do trabalho comunitário no sentido da entre-ajuda. Muitos dos associados e colaboradores não são residentes permanentes na Ecoaldeia.

A responsabilidade social é uma vertente cada vez mais importante como área de intervenção que ultrapassa a escala actual de actuação da Ecoaldeia (Janas e região de Sintra). Cada vez mais recebemos pedidos de integração, voluntariado, estágios e parcerias para novas formas de aprendizagem de média e longa-duração.

Estamos a atingir públicos e a inspirar diversas tipologias sociais, desde os jovens à procura de primeiro emprego ou um estágio curricular diferente, desempregados, crianças e jovens em risco, entre outros.

O nosso sentido da comunidade está relacionado com o conceito das comunidades resilientes (urbanas, semi-rurais ou rurais). Este é um conceito aplicado a regiões territoriais (vilas, aldeias, cidades, ruas, bairros, etc.) com um plano de sustentabilidade energética a longo prazo e aplicada à escala local ou regional por forma a relocalizar os serviços e recursos.

Esta transição envolve o redimensionamento da origem, produção e consumo dos recursos aplicada a essa escala. Ao nível social está ligado ao aumento da participação pública activa das populações envolvidas, promovendo de novo o sentido comunitário dessas aldeias, vilas e cidades.

A reutilização de recursos, o incentivo à produção e consumo de produtos locais, a eficiência energética, a construção sustentável, a educação e economia social e justa são exemplos de áreas de intervenção a trabalhar com as aldeias e comunidades locais e regionais.

Como colaborar e integrar iniciativas locais?

Deixar uma resposta